sexta-feira, março 30, 2012

Poesia.





A solidão do espaço.

Já era tempo da noite ,o sol se foi,
A rajada de vento se aproximou,
O unico olhar que ficou ,
Observando o ar vejo o cometa, que
Passou que nunca mais o olhou,
Viu a cadência do escuro habitou,
Olhou-se parar si tounou-se
Zumbi , preso num lugar um ausente,
A ficar pasmo ,gritou seu ultimo
Sorriso acabou ,a trombeta veio a soar

O milagre não irá te salvar
Desculpe o Pai por não querer lutar
O devaneio faz parte de min ,
No luar habitarei para nunca mais
Sorrir para saber voar basta pensar
Procurer encontrar e nunca mais me
Achar vivendo sentado na parte escura do seu olhar,
A trombeta veio chamar já e hora de
Descansar, a imagem ficará vou guardar aqui no peito um dia

Vou voltar somente para saber se a lua ainda respira no sol a inspiração
Imortalize seu olhar, 
Doce guardei para deixar…S2
Não procure estou solitário no 
Meu sonhar a lua habita meu pensar..

Paulo Fernando,,,30/03/12

Um fato ….Descansar…..
Jusque-lá dans un avenir lointain

Bom pessoas daqui para frente de frente para traz um luar me desfaz ..........S2
Quem gosto comenta 




8 comentários:

  1. NÃO CONHEÇO MUITOS DOS TEUS TEXTOS, MAS , DOS QUE CONHEÇO, ACHO QUE ESSE É O TEU MELHOR TEXTO, EM TODOS OS SENTIDOS. LI999

    ResponderExcluir
  2. Adorei Paulo! Vc tem mesmo jeito para isto! :p

    ResponderExcluir
  3. Eu conheço um segredo
    Alguma coisa ainda pertence a mim
    Sonhos são ilusões
    Eles desaparecem antes que nós possamos pegá-los
    Promessas que podem estar quebradas
    Esqueceremos os sonhos
    Mas o que cresceu em você não pode morrer.

    ResponderExcluir
  4. incrivel!Você merece ser poeta!

    ResponderExcluir